© theme. +

"El tiempo que pasamos separados hará que nuestro amor se fortalezca. Pero eso me lastima, ya no puedo soportarlo: yo quiero envejecer contigo, quiero mirarte a los ojos para siempre, quiero compartir contigo tus conquistas, quiero estar contigo. Pensamientos pueden ir y venir, pero sí creo en nuestro amor, ese sentimiento nos quema por dentro. No hay dudas, no hay temores."

reblog
hace 6 meses on 30 Marzo 2014 @ 2:30pm 1 nota

"Os 7 casais mais queridos", Gaby Spanic y Fernando Colunga forman una de las parejas más queridas del público brasileño. Fue la única pareja de actores extranjeros que ganó la encuesta. Por eso soy una SpaniColunga brasileña orgullosa de mi parejita y de mi país jiji

reblog
hace 6 meses on 28 Marzo 2014 @ 2:11pm 2 notas

designspanic:

#Headers #SpaniColunga #SoyTuDueña

Créditos: @gabrielaelenafc

» via  utreraicons   (originally  utreraicons
reblog
hace 6 meses on 26 Marzo 2014 @ 12:58am 7 notas

Icons Spanicolunga

spanicons:

image

image

image

image

image

image

credits to @fcamospanic 

» via  spanicons   (originally  spanicons
reblog
hace 6 meses on 26 Marzo 2014 @ 12:56am 7 notas

Capitulo 7 

 

 

Depois de me questionar e chorar por um tempo mergulhada naquelas lembranças que tanto me traziam dor, lembranças maravilhosas começaram a passar por minha mente e então um sorriso bobo surgiu em meus lábios quando recordei aquele dia em que o perdoei…

Era três de março de 2012 quando a vida começou a sorrir para nós dois novamente…

 

***

Gabriela

 

Três de Março de 2013…

 

Eu estava tão inquieta pensando em como podia estar sendo o seu dia, e em como eu queria estar com ele que a todo instante me pegava pensativa sobre tudo o que ocasionou a nossa separação… Iria fazer um ano que nos separamos e no seu ultimo aniversário eu estava com ele, o que me fazia ficar ainda mais triste por saber que nesse ano tudo seria diferente…

Apesar do meu dia ter sido muito atarefado nem por um segundo deixei de pensar em Fer e também de recordar nossos momentos…

Ele sempre fazia com que eu me sentisse a vontade, falávamos sobre tudo, e eu confesso que sentia muita falta de ter ele o tempo todo me fazendo perguntas que as vezes me deixavam sem chão, e também de quando ele me arrancava as melhores risadas…

A gente compartilhava de tanto companheirismo que até hoje ainda fico meio sem entender o motivo que fez Fer acreditar na palavra de Salinas e desconfiar da minha. Sei que ele acida de tudo sempre foi meu amigo, mais fazer o que, não se pode mudar o que já se passou…

Quando cheguei em casa e percebi que Gabo já dormia eu fui para o meu quarto e depois de tomar um banho coloquei um baby doll e com meu notebook segui para a cama…

Depois de me enrolar um pouco decidi abrir minha conta do twitter e fiquei durante algum tempo apenas observando minhas fãs… Muitas delas me mandavam tweets me lembrando do aniversario dele, mas como eu poderia esquecer aquela data? Como?…

Apesar de tudo o que aconteceu conosco e pela forma com que nos separamos, Fernando continuava representando para mim alguém que sempre estaria em meu coração.

 Afinal de contas, não se pode esquecer o grande amor da sua vida, não é mesmo?!

Agindo impulsivamente deixei meus sentimentos dominarem meus atos e fiz algo que naquela hora não medi as consequências… Me peguei escrevendo e clicando naquele botão que expôs para o mundo o quanto ele significava para mim…

“Fernando c! feliz cumpleaños, que todo lo santo y divino te siga alcanzando chamo! ojalá Dios nos permita trabajar de nuevo! te amo a tiempo!”

No mesmo momento que enviei esse tweet o numero de notificações cresceu abruptamente.

Sim, eu havia mencionado o lado profissional, mas para tentar não ser tão evidente quanto aos meus sentimentos, porém meus dedos não obedeceram a minha razão…

 Ao reler aquela sentença me deparei com o fator que havia agitado completamente as minhas fãs, sem me dar conta um ‘te amo a tiempo’ acabou por ser incluído naquela felicitação… Sem falar do apelido carinhoso que eu o chamei…

Como explicar agora que aquele ‘te amo a tiempo’ se referia apenas a um gesto de amizade dado a tantos anos que trabalho juntos?

Não! Simplesmente não poderia mentir tão descaradamente, infelizmente, o Fernando significava mais para mim do que eu desejava. A mais de 10 anos me culpo por amá-lo do modo que amo. Quantas vezes eu já não quis tirar esse sentimento do meu peito a todo custo. Talvez tenha sido por isso que minha historia quando se trata de relacionamentos tenha sido tão conturbada, sempre busquei em outros algo que eu sabia que só o Fernando poderia me oferecer…

Por um lado fiquei um pouco receosa por ter me exposto demais, porém ao mesmo tempo estava tranquila por saber que ele não fazia uso daquela rede social, e assim não poderia ver meu gesto de fraqueza…

Erro meu! Depois de alguns minutos de publicado o ‘tweet spanicolunga’ como as minhas fãs o denominaram,meu celular tocou me tirando daquele transe de pensamentos…

 Peguei o aparelho sem nenhuma expectativa sobre quem poderia ser ou o que poderia querer. Porém, ao ver o numero do celular e o nome que o denotava senti meu coração saltar de meu peito. Em questão de segundos, pisquei várias vezes para tentar descobrir se realmente estava acontecendo, se realmente ele estaria me ligando. Minhas duvidas acabaram quando o sonido do celular voltou a perturbar minha mente, sim era verdade, sim era ele!

 Não poderia o ignorar, não naquele dia! E também não poderia deixar de ouvir o som da sua voz e ter a oportunidade de desejar feliz aniversario. Seria incapaz de fazer isso… Com a minha decisão tomada tentar controlar minhas mãos nervosas para atender ao telefone, porém o som da chamada foi ganhado pelo silencio…

 Minha estúpida briga interna havia demorado demais e ele ao certo havia desistido. Já decepcionada comigo mesma, eu segui até a cama e com o celular nas mãos me deitei. Não esperava que ele me ligasse novamente, afinal o aniversario era dele e quem deveria estar o procurando deveria ser eu. Mas meu orgulho não deixaria, infelizmente não deixaria…

 Olhando para a tela onde mostrava a chamada perdida, me assustei quando novamente a musica que eu tanto queria ouvir imperou no ambiente. Fernando não desistiria tão fácil e eu não jogaria novamente a oportunidade de ouvir o som da sua voz no lixo…

"Alô"

"Gabriela como é bom ouvir o som da tua voz" "Fernando… Eu … Eu… Eu quero te desejar feliz aniversario… Apesar de tudo, você sabe que só quero a tua felicidade"

“Muito obrigado minha vida! Sabes? Por um momento pensei que você tivesse esquecido.”

 “Não Fernando, jamais poderia me esquecer do seu aniversário, o problema é que hoje foi um dia muito atarefado e quase não tive tempo para parar em casa”.

 A resposta dada a ele foi do modo mais firme que pude pronunciar, por um momento temi que meu coração tracionasse a minha mente e revelasse meus reais pensamentos…

~ Como poderia esquecer essa data tão especial para você meu amor,se nem mesmo da minha mente posso te tirar?~

"Tudo bem Gaby, e te agradeço por ter se lembrado. Mas não sei se posso te perdoar por ter tweetado ao invés de me ligar"

Fernando dizia aquilo com sua voz em tom de humor, mas naquele momento meu sangue gelou e fiquei estática. Ele havia visto. Como eu não sei, mas ele já tinha tido conhecimento do que eu havia escrito.

 ”Fer eu…”

“Só há uma coisa a ser feita nesse momento para que eu te perdoe!”

O meu estado de nervos piorou ainda mais com aquela frase dele, não sabia o que esperar e muito menos imaginar o que ele pretendia.

“O.. que?”

Minha voz saiu falha de minha garganta, tenho plena consciência que ele havia percebido aquele deslize como também que ele era a causa de meu nervosismo.

”Acredito que o aniversariante mereça ganhar um beijo de parabéns da mulher que ama nem que seja nos últimos instantes do dia, você não concorda?”

Por um momento não acreditei no que estava ouvindo. Como ele podia ser assim? Agindo naturalmente, pronunciando aquela sentença quando todas as forças que mantinham as minhas estruturas já haviam desaparecido…

 As palavras eram inexistentes em minha boca, minha respiração estava acelerada e o compasso frenético do meu coração era apenas o que eu conseguia ouvir.

“Gaby… você ainda está ai?”

Sua fala me fez voltar a realidade, minha mente já havia planejado reunir todas as forças que ainda restavam em meu corpo e do modo mais gentil possível lhe negar o seu pedido, eu não poderia confiar nos meus instintos com sua presença, inspirando o seu perfume e muito menos o beijando. Eu o amava demais, porém meu orgulho ainda dominava todo o meu ser.

"Não Fer, depois de tudo o que aconteceu, não sei se seria uma boa ideia"

 ”Por favor Gaby, você vai ser capaz de negar um pedido ao aniversariante do dia?”

"Fer, eu sinto muito, mas não posso. Temos tantos assuntos pendentes e não posso me esquecer o quanto você me magoou"

"Eu sei que agi como um covarde, eu sei o quanto te magoei, mas você sabe o quanto me arrependo disso e eu já te disse."

 ”Disse! Mas não disse tudo, eu não posso cair de cabeça nisso e sair machucada como sempre” “Gaby…”

"Desculpa Fer, eu te amo, feliz aniversário"

 Não podia continuar mais com o rumo daquela ligação, novamente aquele assunto estava me fazendo sofrer e lágrimas já escorriam pelos meus olhos. Mas também não poderia ter feito o que fiz. Desligar o telefone na cara do Fernando justo no dia do seu aniversario não era justo da minha parte.

 Ai… Novamente a briga entre a minha mente e eu coração estava mexendo comigo. Como eu odiava quando isso acontecia! E por coincidência ou não, isso só acontecia quando o assunto se referia a ele…

Cansada daquela situação e também tomada pelo arrependimento eu respirei fundo e mandei a seguinte mensagem para o Fernando.

 Mensagem Envida.

Desculpa ter desligado na sua cara… Realmente não posso negar o pedido do aniversariante do dia…

Quase instantaneamente ele respondeu, o que demonstrava que assim como eu ele não havia conseguido largar o celular.

Mensagem Recebida.

Você está falando sério Gabriela? Não sabe o quanto feliz eu estou. Esse definitivamente vai ser o melhor presente que eu poderia ganhar. Dentro de 30 minutos estou chegando na porta da sua casa. Eu te amo, te amo, te amo.

Com todo o esforço do mundo, minha mente conseguiu convencer o restante do meu corpo a sair do transe em que estava e encarar aquela realidade, dentro de pouco tempo ele estaria aqui e eu não poderia continuar deitada na cama encarando o celular…

Rapidamente corri para o banheiro e consegui tirar aparência cansada que habitava em minha face, também peguei o frasco daquele perfume que ele tanto gostava e deixei-me abraçar por aquele aroma. Não sabia o que esperar do que estava prestes a acontecer, ou melhor, eu sabia sim, mas meu impulsos nervosos insistiam em me angustiar…

 Naquela hora da noite, a casa estava tomada pelo silencio e pela escuridão, todos dormiam enquanto eu caminhava com passos leves pelos corredores tomando todo o cuidado do mundo para não esbarrar e nada.

~ Cuidado Gabriela, não faça barulho, você pode acordar alguém. Não o que você esteja fazendo seja algo ilegal, afinal de contas é apenas uma visita inocente…~

 ~ Visita inocente a essa hora da noite Gabriela Elena? Tens certeza disso?~

~ Não, não tenho certeza mas…~

 ~ O que eu estou fazendo? Estou discutindo comigo mesma?!~

Depois de resolver cessar o dialogo irritante com a minha consciência, foquei meu objetivo em chegar até a sala que antecedia a porta de entrada. Lá com o celular em minhas mãos eu esperei longos minutos que pareceram para a minha ansiedade uma longa eternidade… Meu nervosismo aumentava a cada passo que eu dava e a cada minuto que se passava, as horas naquele momento pareciam regredir ou simplesmente estarem congeladas. Não podia mais esperar mais nenhum segundo para ouvir sua voz, olhar em sua mirada, inalar seu perfume…

~ Não Gabriela! Chega de pensar nele, chega, você só vai dar um beijo de aniversário nele e pronto, acabou, lembre-se de tudo que já aconteceu! Lembre-se do quando você já sofreu! Lembre-se de…~

A voz irritante da minha razão foi abafada pelo sonido do meu celular, Fernando havia acabado de mandar-me uma mensagem dizendo que estava em frente a porta da minha casa.

Mensagem Recebida.

Espero que não se incomode, ainda tinha guardadas comigo as chaves da sua casa… Estou aqui na porta de entrada já…

“Ele esta aqui, a poucos metros de mim, separados apenas por esta barreira de madeira”.

 Respirei profundamente tentando inutilmente controlar o meu desenfreado coração e caminhei até a grande porta da entrada da minha casa…

Antes de girar a maçaneta voltei a inspirar e expirar o ar de meus pulmões calmamente tomando as últimas fontes de coragem que o meu corpo necessitaria para aquele encontro. Finalmente me sentindo forte o suficiente para olhar em seus olhos novamente, eu abri rapidamente a porta e me deparei com a cena que me fez perder toda a sustentação que ainda havia em minhas pernas, como também todas as forças que eu havia tentado coletar antes de mergulhar em sua mirada.

 Fernando estava encostado em uma coluna próxima a porta de entrada com aquele olhar encantador que me levava ao céu, e em suas mãos ele tinha uma rosa vermelha…

“Fer…”

Apenas o nome dele poderia ser pronunciado por meus lábios naquele momento.

“Gaby…. meu amor…”

Fernando parecia sofrer do mesmo mal que eu… Saudades. Nos olhávamos como se nos reconhecêssemos a cada nova piscada, nossos olhos brilhavam e eu conseguia ouvir não apenas o meu coração, mas também o dele. Ambos estavam pulsando no mesmo ritmo, no dançar de nossos sentimentos, na melodia do nosso amor. Sem ter mais controle de meus atos e me permitindo guiar por meu coração, eu sem poder esperar mais nenhum segundo para o sentir, acabei por me atirar em seus braços…

Minhas mãos contornaram a curva de seu pescoço e suas mãos seguravam possessivamente minha cintura. Nossos corpos estavam unidos naquele abraço quase ao ponto de se fundirem, nossas peles eram percorridas por pequenas correntes de eletricidade a cada contato entre nós dois, e nossos corações nem preciso mencionar que palpitavam como se desejassem sair de nossos peitos para se unirem definitivamente…

 Não sei precisar o tempo que durou o nosso abraço, nenhum dos dois queria que ele acabasse, nossos corpos gritavam de saudades um pelo outro… Guiados pela atmosfera que estávamos vivendo, nos separamos apenas o suficiente para que nossos olhares se encontrassem…

~ Olhar em seus olhos, aquele era o meu fim!~

Olhando em seus olhos eu perdia qualquer noção de realidade ou razão, aquela mirada castanha invadia a minha mente e me transformava em um ser de amor, amor por ele.

 Dominada por seu olhar e seu perfume, meu único desejo era que aquele maldito espaço entre nossas bocas fosse extinto, necessitava poder usufruir mais uma vez do gosto de seus lábios…

Ele lendo meus pensamentos aproximou-se lentamente, meus olhos se fecharam para poder sentir completamente o que estava por vir e nossos narizes se tocaram. Nossas respirações ofegantes e misturadas só aumentavam ainda mais a minha vontade por seu beijo…

“Fer…”

“Minha Gaby…”

Sem esperar mais, ele finalmente acabou com aquele tortuoso espaço que nos separava… Fui levada a outro mundo, vi todas as estrelas e constelações possíveis ao sentir seus lábios sobre os meus… Um beijo calmo, gentil, amoroso, mas ao mesmo tempo selvagem, fugaz e apaixonado. Fernando era capaz de apenas com um beijo despertar em mim os mais duais sentimentos, o amor sublime e também o fogo da paixão…

 Por meses eu não sentia aquele sabor e muito menos flutuava em seus braços como naquele instante, portanto, quando finalmente nos beijamos a saudade acumulada por muito tempo explodiu em nossos peitos, nossas peles gritavam pelo contato uma com a outra, nossos corpos suplicavam por caricias e nossos corações só desejavam que aquele nosso amor fosse trocado da única forma possível que nos pudesse intensificar aquele momento de tal maneira que esse ficasse gravado em nossas almas…

Eu sabia que não podia, mais eu queria… Eu queria que Fer me fizesse sua…

Suas mãos eram ágeis e nossos beijos de saudades haviam tirado toda a razão que um dia existiu em mim. Fernando, me encostou na fria parede que existia do lado de fora da porta, e não pude evitar de soltar um pequeno gemido quando o calor febril de meu corpo foi ao encontro daquela superfície gelada…

Sem me dar conta, as mãos de Fer que estavam grudadas em minha cintura até aquele momento, seguiram até encontrar o laço do meu robe…

Ele desfez o nó que unia as partes, e quando essa barreira foi liberada, senti sua mão acariciar minha barriga, e depois fazer a curva da cintura tocando minha pele quando sua mão adentrou por de baixo da blusa do meu baby doll…

A textura sutil e o calor que emanava de suas mãos me deixaram sem chão.

Precisava urgentemente sentir sua pele sobre a minha, não poderia esperar mais para o sentir meu e me sentir sua novamente…

Guiada pela explosão de sentimentos que dominava meu corpo e abafava a voz de minha consciência, eu pronunciei aquela sentença que nunca imaginei falar. “Fer, vamos entrar…”

Minha voz ofegante chegou como um ar quente em seus ouvidos, naquele momento senti a pele dele se arrepiar e Fernando automaticamente olhou-me tentando talvez provar a si mesmo se havia ou não escutado aquilo…

“Você quer que eu entre?”

O olhei sedente de amor, e não o respondi com palavras, instantaneamente lhe dei mais um beijo apaixonado demonstrando toda a excitação que sentia…

Abri a porta, e depois de já termos adentrado minha casa eu a tranquei e mais uma vez o envolvi com meus beijos…

Fer também demonstrava o que queria, através de cada expressão que seu corpo emitia…

Não pude ter noção de tempo ou espaço quando o toque de suas mãos em meu corpo pressionaram ainda mais a minha cintura. Cada fibra do meu ser sentia o calor do corpo dele…

 Sem interromper o beijo e com sua mão ainda queimando em minha cintura, ele me fez voar.

Ergueu-me rapidamente do chão e envolveu minhas pernas em seu tronco. Automaticamente eu me encaixei perfeitamente a ele e naquele momento pude sentir sua evidente excitação.

Já era impossível conter os desejos e loucuras de nossas mentes repletas de amor.

“Vamos pro meu quarto Fer!”

“Você tem certeza disso meu amor?”

“Não!… Mais eu preciso tanto que você me faça sua…”

Fer me olhou desejoso e após me soltar calmamente no chão me virou de costas para ele e assim me guiou para um caminho que ele conhecia muito bem…

Subimos as escadas tentando não fazer nenhum barulho, em poucos segundos já estávamos no meu quarto…

Nossa ansiedade era tanta que no mesmo instante que colocamos os pés dentro daquele cômodo começamos a nos despir simultaneamente…

Assim como ele me ajudou a retirar minhas peças de roupas eu também o ajudei…

Fer e eu estávamos apenas com nossas roupas intimas quando eu lhe empurrei para que caísse em minha cama…

O olhava diretamente nos olhos, sabia que naquele momento exercia todo poder sobre seus sentimentos… Lentamente comecei a tirar o meu sutiã… Não via somente em seu olhar o desejo expressado, via em cada parte de seu ser…

 Ele me admirava, ele parecia guardar cada segundo de algo que eu executava, em sua mente…

Sem mais conter-se, Fer me puxou para ele, fazendo com que eu pressionasse meu corpo sobre o dele…

Suas mãos passeavam por minhas costas enquanto que as minhas envolviam seu rosto dentre elas e com meus olhos lhe transmitia todo o meu amor…

“Te quero tanto meu Fer! Eu te…”

“Não mais que eu minha Gaby…”

Seu corpo se moveu, seus braços me fizeram ficar por de baixo dele, em segundos seus lábios tomaram meus seios em caricias enlouquecedoras…

Gemer e agradecer a Deus mentalmente por aquele momento era tudo o que eu conseguia fazer… Meu corpo em fim havia encontrado com aquele que era o seu único dono…

Enquanto sua boca lambia e mordicava meus seios uma de suas mãos seguiu até o meu ponto mais intimo e afastando a minha calcinha começou a me dar ainda mais prazer…

Ansiava por cada caricia dele a tanto tempo, que os espasmos prazerosos que eu sentia pareciam se intensificar mais e mais a cada segundo que se passava de uma maneira que poucas vezes eu havia sentido…

Depois de já não suportar mais apenas seus toques e incontrolavelmente o querer dentro de mim, eu com minhas mãos fui de encontro ao seu membro e assim que as coloquei por dentre sua cueca o fiz estremecer…

“Gabriela… Você quer me enlouquecer?”

“Talvez eu queira…”

Retirei minhas mãos ainda relutante daquele ponto que tanto lhe dava prazer, sai de baixo dele e me posicionei ao seu lado de joelhos sobre a cama, estava prestes a ajuda-lo a retirar aquela única peça que faltava para que ele ficasse completamente nu quando escutei alguém bater na porta… Instantaneamente o olhei, e naquele momento fomos penalizados por nosso descuido… Quando entramos não havíamos trancado a porta… Paty sempre batia e logo entrava e foi que isso que ela fez… Eu puxei rapidamente o lençol e joguei sobre Fer mais talvez não a tempo de Paty perceber que ele também estava quase desnudo…

“Gaby… Me desculpa! Eu… jamais pensei que…”

“Tudo bem mana…”

A olhei sem saber mais o que falar, Paty entendendo o meu constrangimento saiu e fechou a porta novamente…

Eu corri até a mesma e a tranquei… Me encostei nela e ali fiquei tentando recuperar os meus sentidos perdidos com repentina entrada da minha irmã naquele quarto…

 Paty além de te deixado a atmosfera de uma cena constrangedora para os três, fez também despertar a razão que a minha saudade, loucura, paixão, e amor por Fernando haviam sufocado.

~ Meu Deus o que eu estava fazendo? Por pouco não me entreguei novamente a ele. Não, não poderia ter deixado que sua presença me dominasse dessa forma. Era exatamente isso que eu temia, me assombrava… Claro!Sabiano quarto  cama, esravale ponto que tanto lhe dava prazer e me posaiu e fechou a porta novamente.e transmitia todo o me Eu não tenho capacidade de suportar seu olhar, seu cheiro, seu beijo sem me entregar…~

 Meus instintos voltaram a me traicionar logo quando minhas decisões já haviam sido tomadas e firmadas. Sabia que não poderia esquecê-lo, nunca poderia apagar de minha mente tudo o que Fernando representou e ainda representa em minha vida. Mas também esquecer tudo o que já sofri por ele, por suas decisões estúpidas isso era quase que impossível…

 Meus pensamentos estavam me torturando. Saber do que quase havia acontecido me fazia perceber a minha vulnerabilidade perante a ele. Não podia me entregar assim sob as angustias do passado. O que receberia? Dor e sofrimento no dia seguinte?…

 Não!… Não poderíamos seguir por aquele caminho, não era o certo…

Depois de algum tempo ouvindo os gritos da minha razão ainda parada na porta olhei para o Fernando de certa forma envergonhada…

 Ao encarar seus olhos castanhos que pareciam analisar minha expressões, desviei meu olhar, abaixei a cabeça e tentei lhe falar o que deveria ser dito, mas de minha boca apenas saíam pequenos sonidos, rastros de uma voz atormentada por sua consciência…

 Ele percebendo minha crise interna, aproximou-se de mim e com um dedo apoiou o meu queixo, erguendo assim meu rosto fazendo com que meu olhar se chocasse contra o dele…

Meu coração voltou a se acelerar ao sentir seu toque e seu cheiro. Nossa proximidade apenas fez piorar minha vulnerabilidade, e o fato de ele estar olhando ternamente em meus olhos vestindo nada mais que uma cueca box preta me aterrava.

~ Como ele poderia ser tão egoísta assim? Ele estava dificultando tudo agindo daquela maneira. Será que ele tinha o conhecimento que eu não suportaria muito tempo,e se aproveitava disso?~

Parei de olha-lo mesmo que minha vontade fosse de envolver minhas mãos em seu pescoço e beija-lo até nossos pulmões implorarem por ar, mas minha razão estava segurando meus impulsos. O único problema é que ela não teria forças o suficiente para segurar-me por alguns minutos mais.

“Gaby… Gabriela olhe para mim meu amor.”

Sua voz doce e terna soou como uma ordem para mim, não pude me negar a novamente encarar aquela mirada que tanto me hipnotizava.”

“Fer…eu…”

“Não meu amor, não fale nada. Eu imagino tudo o que deve estar passando pela sua cabeça, e apesar de desejar te amar de todas as maneiras e durante toda a minha vida, sei que estávamos prestes a darmos um passo maior que a perna. E eu peço perdão por isso.”

“ Perdão? Não é você que deveria estar se desculpando agora Fernando, fui eu quem disse parar entrarmos, fui eu quem disse para virmos para o quarto, fui eu quem…”

“Mas fui eu quem insistiu por um beijo seu, não tinha o direito de fazer isso, depois do tanto que já te fiz sofrer.”

 Uma lágrima que não pude controlar escorreu por dentre meus olhos, lembrar tudo o que havia passado ainda me machucava intensamente.

“Não chore meu amor, não poderia aguentar saber que mais uma vez fui o motivo para sua tristeza.”

Com os rastros das lágrimas ainda percorrendo minha face o olhei para tentar ver sinceridade em seus olhos, e lá como esperava eu a encontrei. “Gabriela minha vida o que estamos fazendo? Nosso amor é algo puro, e não deve ser motivo para retaliações de ambas as partes. Te amo demais para ficar longe de você, talvez tenha sido por isso que não tenha conseguido controlar meus instintos hoje, não posso viver longe de você, não posso…”

 Eu o olhava sem conseguir pronunciar nenhuma palavra, minha voz interna gritava por lhe dizer

 ~ Eu te amo também, não posso viver longe de ti!~

Mas minha boca seca era incapaz de reproduzir algum som…

“Vamos fazer assim? Vamos esquecer o que acabou de passar, na verdade o que quase acabou de acontecer e …”

 “Esquecer?”

 “Não esquecer como se fosse um pecado, mas apenas recordar como algo bonito que em um futuro próximo e sem sombras do passado poderemos voltar a viver. Mas é claro, se você concordar. O que me diz senhorita Spanic? Aceita recordar isso ao meu lado?”

 “Fer eu… eu não sei o que dizer. Tenho tanto medo!”

“Eu também tenho, mas poderemos superar isso juntos… Sabe! Eu jurei a mim mesmo que não ia mas permitir que você sofresse que iria te reconquistar, não importa o tempo que passe e nem o que ocorra, eu sempre estarei contigo minha Gaby.”

 

“Promete?”

“Sim minha vida, sempre estarei ao seu lado.”

 Aquelas palavras de Fernando agiram como pinceladas de felicidade em minha alma, as lágrimas de sofrimento cessaram e um sorriso brotou em meus lábios. O amor que eu sentia por ele era maior que o medo de me machucar novamente. Depois daquela noite eu tinha a certeza que a minha vida sem ele por perto não teria sentido.

“E então senhorita Spanic? O que me diz?”

 Meu olhar que explodia em felicidade observava atentamente cada parte de sua apreensiva expressão. Eu não sabia como responder a aquela pergunta, minha decisão já havia sido tomada mas nenhuma palavra seria boa o bastante para traduzir tudo o que eu sentia. Percebendo que a cada segundo que passava seu rosto era tomado mais ainda pela angustia de não saber a minha resposta, eu resolvi o responder da melhor maneira que a minha mente repleta de amor pode arquitetar. Desviando o meu olhar do seu, eu olhei para baixo e toquei sutilmente em sua mão. O meu toque fez os olhos de Fernando brilharem e um esboço de um sorriso surgir em seus lábios. Enquanto voltava a me perder naquela iris castanha que tanto amava, meus dedos se entrelaçaram nos dele e sorrindo pronunciei aquele palavra de três letras.

“Sim.”

“Sim?”

Ele sorria como uma criança, um sorriso puro e sincero. Seu brilho no olhar havia se intensificado e eu podia ouvir o seu coração bater descompassadamente.

“Sim meu Fer, contigo ao meu lado eu me atrevo a tudo. Não importa o que aconteça no futuro, a teu lado sei que está o meu destino, a teu lado sei que esta a minha morada…”

Continua…

Escrito por:

Andrea Monteiro (https://twitter.com/MissBracho_)

Dayane Cristina (https://twitter.com/DayCristinaa

reblog
hace 6 meses on 22 Marzo 2014 @ 7:54pm 1 nota

Capítulo 32

Como assim ela quer um beijo do meu homem? NÃO! NÃO! NÃO! Isso já está passando dos limites. Gabriela está na hora de você entrar em ação! Antes que Fer pudesse responder algo, entrei no camarim.

- Cof, cof, cof! Interrompo algo? - Perguntei ao entrar no camarim. E assim que Fer me viu, largou Blanca, que se virou para limpar as lágrimas. Fui em direção a Fernando e lhe dei um beijo, um beijo curto e sem intensidade, um beijo apenas para marcar território.

- Imagina,Gaby! É um prazer rever você! - Blanca falou e virou para me olhar

- Tem certeza, Blanca? Você está com uma cara péssima! Algum problema com a peça? Se vocês quiserem posso esperar lá fora, só entrei sem avisar porque pensei que Fer estivesse sozinho.

- Não há nada errado com a peça, meu amor! E você não precisa avisar quando entrar no meu camarim. - Fernando disse com um enorme sorriso. 

- Bom, eu acho que já vou… Vou almoçar!

- Eu e Fer também vamos almoçar, não quer ir conosco, Blanca?

 -Er… Não! Já tenho compromisso, Gaby! Mas mesmo assim, obrigada pelo convite! Blanca saiu apressadamente, ela com certeza estava muito constrangida. Após ela ter saído Fernando agiu naturalmente e não me contou nada do que havia acontecido. Eu preferi não perguntar nada e fingir que também não sabia o que havia acontecido.

Eu e Fer fomos almoçar no restaurante chinês que eu tanto queria. Conversamos um pouco e fomos ao shopping porque eu queria comprar um vestido para ir ao jantar. Fer ficou comigo e me ajudou a escolher o vestido e depois teve que ir embora para uma reunião. Eu continuei no shopping, fui a um salão, queria arrumar meu cabelo. E assim a tarde passou voando.

Quando Fer chegou de sua reunião eu estava terminando de me vestir. Sua mãe, dona Margarita, havia marcado o jantar para as 20h30min e já eram 20h.

- Fer, corre porque eu não quero chegar atrasada e fazer feio – Disse apressada.

- Vou correr amor. Em 15 minutos estou pronto, a reunião acabou se estendendo, mas é coisa de 15 minutos para eu estar arrumado.

E assim foi, em 15 minutos ele estava arrumado, penteado e perfumado. Eu não entendo como os homens conseguem se arrumar tão rápido, enquanto eu, por exemplo, demoro horas e horas me arrumando.

- Que lindo meu namorado está – Disse dando um leve selinho, não queria borrar meu gloss

- Linda está você! Sabia que eu amo quando você usa azul? Você fica tão angelical e eu gosto de te ver assim. – Ele me abraçava pela cintura

Eu estava com um vestido azul turquesa rendado, vestido esse que Fer tinha me ajudado a escolher.

- Eu também gosto, principalmente porque combina com esse item – Disse mostrando meu pulso onde estava a pulseira com estrelas de diamantes azuis que Ferhavia me presentado – que eu tanto amo e é indispensável para eu sair de casa.

- Eu já observei isso, observei que você sempre a usa.

- Quando você me deu-a, disse que para sempre que eu olhá-la lembrar de você. Essa pulseira tem um valor sentimental muito grande pra mim, é como se você estivesse sempre comigo.

- Mas eu estou, estou aqui – Disse colocando a mão em meu coração.

- E aqui – Eu apontei para a minha cabeça – Em todos os meus pensamentos

Seguimos para a casa de seus pais. A casa em frente a sua, era tão grande e luxuosa como a casa de Fernando, Fer já havia me dito que quando comprou a sua casa, fez questão de comprar uma para seus pais em frente a dele, para assim ficarem mais próximos quando ele estivesse em Miami. E dava pra ver de longe que Margarita era uma senhora de muito bom gosto, e muito orgulhosa de seus dois filhos, a sala de estar era repleta de fotos de Fernando e Anna. De início fiquei um pouco aflita, com medo de não agradar os pais de Fernando, mas depois de 30 minutos dona Margarita e senhor Fernando me chamavam de “filha”. Dona Margarita me contou recordações divertidas sobre a infância de Fer e me deu dicas sobre suas comidas favoritas.

O jantar foi maravilhoso, a casa tinha um clima super agradável. Após o jantar nós nos reunimos na sala de estar e, enquanto Fernando conversava com seu pai, eu conversava com Dona Margarita, que era uma senhora muito agradável.

- Ah, minha filha, você não sabe a felicidade que sinto por Fernando finalmente achar uma mulher à altura dele. A única coisa que desejo nessa vida é ver meu filho feliz. E eu vejo que isso você faz e muito bem – Brincou ela

- A senhora acha isso? – Perguntei

- Ora filha, é só olhar para o brilho dos olhos do meu filho para ver que você é a mulher que ele elegeu para ser a companheira dele de toda uma vida. – Ela olhava Fernando sorrindo conversando com seu pai.

Aquelas palavras me emocionaram tanto, que meus olhos encheram de lágrimas.

- E a confirmação que você ama meu filho tanto quanto ele te ama está aí, nessas lágrimas de emoção em seus olhos.

Logo Fernando e seu pai se juntaram a nós e descobri que o pai de Fer era craque em dominó, e eu brinquei falando que ele havia encontrado uma jogadora à altura. E assim, encerramos a noite comigo e dona Margarita dando um banho em Fer e seu Fernando no dominó.

Chegamos em casa por volta das 00h:00min. Enquanto eu retirava a maquiagem me peguei pensando sobre a conversa de Blanca e Fernando, e se eu não tivesse interrompido? Teria ele cedido a aquele pedido? Por mais que eu não quisesse pensar e falar sobre isso, todos os meus pensamentos voltavam para aquela conversa. Para a forma que Fernando a abraçava, será mesmo que ele poderia tê-la amado se eu não tivesse aparecido em sua vida? Será que um belo dia ele pode acordar e ver que se enganou? Ver que ela é a mulher perfeita para ele?

- No que a minha menina está pensando? – Fer havia acabado de sair do banho e me abraçava por trás pela cintura - E por que essa testa franzida? Está preocupada com algo?

- Não, por quê? – Disse dispersando meus pensamentos

- Por nada, você só me parece tão longe.

- Não é nada, só estou cansada.

- Feliz pelos meus pais terem te adorado?

- Sim, bastante – Respondi sem muita animação e o afastando

Fernando sentiu que tinha algo errado comigo, mas também não comentou nada, só escovou seus dentes em silêncio e foi se deitar.

Um tempo depois deitei ao seu lado, e me pergunteimentalmente mil vezes se eu deveria tocar no assunto ou não, se eu deveria perguntar se ele teria a beijado ou não, mas eu tinha medo, medo da resposta e medo que esse final de semana maravilhoso terminasse com uma briga e uma grande decepção.

Eu me remexi na cama umas mil vezes e sabia que Fernando não estava dormindo, poderia ouvir sua respiração um pouco mais acelerada, ele não falava nada, como se estivesse esperando pela minha pergunta.

Olhando para o teto de seu quarto, eu me perguntava: Pergunto ou não pergunto?

Gabriela, você pode não gostar da resposta, mas como conviver com essa dúvida? Droga seria melhor se eu não tivesse interrompido a conversa, assim eu saberia o que iria acontecer. Mas eu também não poderia deixá-la beijar meu namorado, mas a questão é: Ele teria a beijado? Ele seria capaz de fazer isso comigo?

- Você teria a beijado hoje à tarde se eu não entrasse no camarim naquele momento? – Perguntei de uma vez, por mais medo que eu tivesse de sua resposta, eu precisava saber o que teria acontecido aquela tarde caso eu não os tivesse interrompido.

Escrito por: Juliana Sampaio (https://twitter.com/JuSaampaio) e Letícia Dias (https://twitter.com/srslymeredith) <3

reblog
hace 6 meses on 22 Marzo 2014 @ 7:37pm 1 nota

Capítulo 31

Fer passou o resto da noite tentando me acalmar, mas isso era uma missão quase impossível. Ele falou o quanto eu era adorável, o quanto os pais deles me amariam tanto quanto ele me ama, mas nada me acalmava. Eu estava realmente muito nervosa e talvez até um pouco ansiosa pra conhecer os pais dele. Um pouco ansiosa? Ok, eu estava muito ansiosa.

Depois de todas as tentativas de me acalmar, Fer acabou pegando no sono e eu, mesmo super cansada, não conseguia dormir de modo algum. Quando fechava os olhos só conseguia imaginar como seria o jantar. Falava para mim mesma que eu precisava dormir ou iria acordar parecendo um panda, com olheiras assustadoras. Quando finalmente consegui pegar no sono tive um pesadelo horrível, os pais de Fernando me odiavam e o jantar era péssimo. Não, minha noite não foi nada fácil. Quando finalmente consegui dormir o dia já estava amanhecendo e pouco tempo depois Fer me acordou, me deu um beijo de bom dia e foi ao teatro para o ensaio da peça. Depois que ele saiu do quarto voltei a dormir profundamente.

Acordei ao meio dia assustada com meu celular tocando, era Fer me ligando para marcar de almoçarmos.

- Oi, Fer – Respondi ainda sonolenta

- Ainda dormindo, sua preguiçosa? – Perguntou brincando.

- Ah Fer, eu não consegui pregar o olho a noite, quando eu dormi já passava das cinco.

- Ainda está nervosa sobre ir conhecer meus pais hoje à noite?

- Não tanto quanto ontem, mas ainda um pouco. E se a Anna contou sobre as nossas brigas?

- Quanto a isso fique tranquila, meu amor, não chegou ao ouvido dos meus pais nada a respeito das desavenças entre vocês e creio que Anna vai aceitar a cunhada dela com o tempo.

- Sendo assim eu fico mais tranquila – Eu não podia negar que saber que nenhumas das brigas que tive com Anna chegaram aos ouvidos dos pais de Fer me tranquilizava

- Mas, então, vamos almoçar juntos? – Perguntou Fernando

- Claro! Vou me arrumar para ir aí e saímos pra almoçar naquele restaurante chinês que falamos ontem.

- Ok, meu amor. Ah, você ligou para saber notícias do Gabo?

- Vou ligar agorinha, quando desligar com você.

Eu amava o fato de Fer se preocupar com Gabo tanto quanto eu me preocupava. Depois de falar com Fer, liguei para minha casa para falar com meu bebê, saber como ele estava. Passei um bom tempo conversando com Gabo, ele me contou tudo que tinha feito no dia anterior e falou que estava com muitas saudades de mim e de Fer também. Despedi-me do meu filho com um aperto no coração, sentia tanta saudade dele. Logo que terminei a ligação fui correndo tomar banho e me arrumar, estava atrasada para encontrar com Fer. Me arrumei o mais rápido que pude e chamei um táxi para me levar ao teatro. O táxi não demorou a chegar e o trânsito não estava tão ruim. Assim que entrei no teatro fui direto ao camarim de Fer, ele deveria estar me esperando lá, já que eu estava atrasada. Eu cheguei até a porta de seu camarim e ouvi vozes alteradas. As vozes eram de Fernando e Blanca. Eles estavam discutindo e eu resolvi ouvir sobre o que era.

- Eu só acho que não tem motivos para você agir indiferente comigo na frente da Gaby - Dizia Blanca

- Eu já te disse que não ajo indiferente, Blanca, pelo amor de Deus! Como você quer que eu aja?

- Como a amiga que eu sou. Não como se eu fosse uma estranha qualquer! - Dizia ela irritada

- Eu só não quero dar motivos para Gaby desconfiar de coisas, que eu e você sabemos que não existe mais, você sabe que eu a amo!

- É claro que eu sei que você a ama, Fernando. Você assumiu o relacionamento de vocês perante toda a imprensa, você acaba de me dizer que ela vai jantar na casa dos seus pais hoje à noite e isso é algo inédito. Ela conseguiu ser pra você tudo que um dia eu tanto sonhei, é lamentável ver que eu fui só mais uma na sua cama - Disse com um tom de mágoa em sua voz.

- Mas você ao menos podia ter um pouco mais de consideração por mim. Você sabe o quanto significa para mim e poderia me tratar um pouco melhor diante de sua namorada.

- Não fale dessa forma, Blanca, como se eu tivesse te usado! Houve uma amizade que acabou em sexo e talvez esse tenha sido nosso erro.

 - Uma amizade que acabou em sexo? Fernando, por favor!!! Amigos não sentem atração um pelo outro. E você sentiu, eu via que você me desejava.

Meu coração apertou ao ouvi-la dizer isso. Pensar em Fernando sentindo atração por outra mulher que não fosse eu fazia meu estômago revirar.

- Eu não nego que senti sim uma atração por você. Mas… Mas, Blanca, desde que reencontrei Gabriela eu me apaixonei, eu a amo e você mesma disse que sabe disso.

- Eu sei Fernando! Eu sei que você a ama e fico feliz por isso. Por você, finalmente, amar alguém, se entregar à alguém - Fernando ia interrompê-la, mas ela continuou

- Quando você me falou que era melhor sermos apenas amigos e logo depois começou a falar sobre ela, naquele momento eu vi que eu tinha te perdido. Mas eu sei também que você não me amou, porque você não se permitiu me amar, e que hoje em dia não podemos ser nada mais que apenas amigos. Eu só te imploro que você não me prive da sua amizade, você é muito importante pra mim.

Ela parecia estar chorando e a confirmação veio em seguida quando Fernando disse pra ela não chorar.

- Blanca, eu não quero que chore. Você sabe que eu tenho um carinho em especial por você, me desculpe se eu te magoei – Dizia com sua voz branda.

- Fer, eu te amo! – Blanca estava soluçando

- Você sabe que não pode!

- Eu sei e eu respeito isso, eu jamais faria algo para atrapalhar o relacionamento de vocês dois. O mais importante para mim é te ver feliz, não importa com quem seja.

- Você é admirável, Blanca! De verdade! E um dia encontrará um homem que te ame da maneira que você merece.

Então, eles ficaram quietos e eu não pude deixar de espiar. Fer abraçava Blanca enquanto a acalmava, passando a mão por suas costas. Eu sei que não tinha motivos algum para sentir ciúmes, ela se declarou para ele e ele disse o tempo todo que me amava e eu também não podia culpá-la, ela não tinha culpa de amá-lo e, sem dúvidas, era um gesto muito nobre abrir mão desse amor pela felicidade de Fernando, mesmo que a felicidade dele estivesse em outra mulher, que não fosse ela.

- Fer, eu posso te fazer um último pedido? - Peguntou Blanca

- Claro, Blanca!

 - Me dá um beijo? Sei que será o último, é só para eu jamais esquecer o gosto da sua boca.

Escrito por: Juliana Sampaio <3 (https://twitter.com/JuSaampaio) com o auxílio de outra autora.

reblog
hace 6 meses on 18 Marzo 2014 @ 11:36pm 4 notas

Capitulo 6…

 

- Eu te amo Gabriela… Eu te amo! - ele disse assim que meus olhos se chocaram com os seus.

 

- Também te amo Fer, - respondi com sinceridade -Te amo…

Minhas mãos seguraram cada lado de seu rosto, e aproximei meu rosto do seu, iniciando mais um beijo carregado de amor e saudade…

 

***

 

Gabriela

 

Precisava sentir novamente a doçura dos seus lábios e o calor que sua mão proporcionava ao meu corpo. Cada toque em minha cintura estremecia-me intimamente e seus beijos me levavam a outro mundo… Ao nosso mundo…

Tenho certeza absoluta que aquelas sensações maravilhosas não somente me atingiam… A cada beijo que Fernando e eu trocávamos os lábios dele me diziam que ele também desejava e havia esperado por aquele momento igualmente ou mais que eu. O desejo de minha alma era deixar a paixão e os instintos me guiarem para os braços do homem que eu amo. Mas um fio de sanidade me levou a realidade que instantaneamente voltou incomodar a minha mente… Naquele exato momento as piores das nossas lembranças começaram a passar sobre meus olhos enquanto ele me beijava…

O motivo gritante das duas vezes em que nos separamos me deixava completamente sem saber o que fazer… Eu queria seus beijos, mas eu queria também resolver o meu passado…

 

***

 Meados de Março de 2011

"O que? Você não acredita em mim Fernando?"

"Não é isso meu amor, apenas acho que as coisas podem não ter acontecido do jeito que você pensa"

"Ótimo, o homem que eu amo acha que eu estou mentindo.”

"Não Gaby é que…"

"Fernando, minha família e eu fomos parar no hospital, fomos todos vitimas de envenenamento. Você acha que eu brincaria com um assunto tão sério como esse?"

~ Não acreditava que aquilo realmente estava acontecendo, mesmo depois de tantos obstáculos para que ficássemos juntos, depois de tantas declarações de amor trocadas, ele, justamente ele não acreditava na minha verdade…

“Fernando?… Por que? Por que você está duvidando de mim? Alguém anda te falando besteiras a meu respeito não é? Como você pode dizer que eu sou a mulher da sua vida e depois demonstrar que não confia na minha palavra, no que eu vivi… Fernando você estava junto comigo o tempo todo!”

Eu falava aquilo o encarando com uma raiva que nunca em minha vida havia sentido…

"Não meu amor, não é isso. Só digo que pode haver um segundo lado da historia. A Carmen falou que…"

"Carmen? Claro tinha que ser ela não é?! Só você que não percebe que essa mulher é só uma aproveitadora que quer ver o fracasso dos outros?"

“Gabriela não vou admitir você falando da Carmen assim, sabes que ela é muito importante pra mim!…”

~Aquelas palavras me atingiram da pior maneira, eu já não conseguia mais conter minhas lagrimas, como ele podia estar fazendo aquilo comigo?… Duvidar de mim! Duvidar de tudo o que eu estava passando…

“Mais importante do que eu não é Fernando? Ai… Por que ela fica colocando essas mentiras na sua cabeça… Que raiva!…”

“Mentiras?… Gabriela você tem absoluta certeza que essa moça envenenou você e a sua família?”

 “O que?… Foi a esse ponto que a sua queridinha Carmen Salinas fez a tua cabeça dessa vez? Você não confia em nada do que eu te falo agora? Você nem sequer está comovido com tudo o que eu estou passando… Fernando você não pode estar cego dessa maneira… Você estava acompanhando tudo!…Por que Fernando, por que?

***

Aquelas lembranças maltratavam o meu coração de tal forma que motivavam uma briga entre o que aquele beijo representava e o que a minha mente recordava.

Me separando um pouco de seus lábios, eu pronunciei seu nome tentando chamar atenção para o conflito interno que eu estava vivendo.

 - Fernando…

- Gaby, minha Gaby…

Sem dar tempo para que eu falasse qualquer coisa, ele capturou novamente meus lábios. E eu mais uma vez fui levada para o nosso mundo pelo sabor de seus beijos, que eram calorosos e demonstravam toda saudade, paixão, amor e desejo que consumiam nossos corpos.

 Cada parte da minha pele estava sensível ao seu toque, e isso aliado ao encaixe de nossas bocas me levaram a um nível de rendição do qual eu achei que estava curada…

Depois de alguns minutos de total entrega, as lembranças voltaram a tomar conta dos meus pensamentos…

***

“Por que você esta deixando a Carmen e sabe se lá mais quem te envenenar contra mim?… Meu Deus essa mulher te fez mudar de ideia assim nesse mínimo tempo que eu saí da emissora…

Claro ela nem se atrevia chegar perto de ti quando eu estava lá, mais agora deve ficar o tempo inteiro falando barbaridades ao meu respeito pra você… Eu só não imaginava que você era tão cabeça fraca assim… Ai Fernando vamos nos separar novamente por causa dos outros?…”

 

 “Gabriela, não! Calma, não ponha tudo a perder por causa de um mal entendido!”

 ”Nunca houve mal entendido Fernando, você apenas esta cego, e não consegue mais acreditar na minha palavra. E isso é algo que eu não posso aceitar! Não agora! E você sabe o por que?…”

“Meu amor…”

“Por que até esse momento Fernando você era o meu porto seguro, e saber que você esta duvidando de mim agora que eu ainda preciso tanto de ti é a pior coisa que poderia me acontecer… Você não esta mais ao meu lado Fer… Você esta do lado de todos que estão me acusando e julgando! ”

“Não!…Gabriela me escuta? Eu Te Amo”

 “Ai Fer, eu também te amo, mas as vezes o amor não é o bastante…”

“Gabriela, não!… Dessa vez pode não ter mais volta meu amor!… Não me deixa… Se você for, eu…”

 

~ Aquelas palavras foram o fim pra mim… Ninguém jamais vai realmente entender o que eu passei naquele momento… Eu amava aquele homem, amava como nunca havia amado nenhum outro homem na minha vida, mas ele feriu o que eu mais prezava… Ele feriu a minha dignidade!…

Naquele dia não soube o termino daquela frase… Sai e não olhei pra traz… Por quase um ano perdi a doçura da minha alma, perdi aquele me roubava os melhores sorrisos… Realmente achei que havia perdido o grande amor da minha vida…

 

***

-Fer… Minha voz saiu ofegante de minha garganta.

-Meu amor…

Fernando respondeu ao meu chamado enquanto beijava meu pescoço com dedicação… Posso dizer que aquela atitude estava dificultando ainda mais a minha decisão, meu corpo clamava pelo dele, Fernando sempre me deixava vulnerável a ele!… Mas não poderia ser assim, não sem resolvermos o que tanto me machucava e atormentava… Eu não estava somente relembrando o passado, eu estava o presenciando novamente… Aquelas lembranças trouxeram lagrimas ao meu rosto, e na verdade esse foi o motivo que fez Fer se afastar de mim…

-Gaby, o que foi? Por que você está chorando?

-Eu não suporto mais Fernando… Você parece que não sabe o que realmente fazer… Você acha que eu consigo superar tudo o que você me falou… Eu não consigo!!! Todas as suas duvidas pra cima de mim, bem naquele momento… No momento que eu mais precisava do seu apoio… E depois que te perdoei, você errar comigo novamente por causa dos meus motivos… Eu não posso aguentar mais isso Fernando!

 Ele me abraçou tão forte que mais uma vez a minha ansiedade em tê-lo junto a mim começou a gritar dentro do meu ser… Mais eu não podia mais me deixar levar pelos meus instintos…. Não! Ou resolvíamos o passado, ou não haveria futuro!

-Gaby, eu já não sei mais de que forma te pedir perdão… Eu já te disse que eu me sinto o pior homem do mundo por ter te magoado… Gaby entenda eu te amo, eu quero te ter ao meu lado, me perdoe! ME PERDOE!!!…

-Não é isso que eu quero escutar! Eu já te disse milhares de vezes Fernando!… Ai… Me solta!…

Eu o empurrei para longe de mim… Por que só assim eu podia ter completo domínio do meu corpo… Mais assim como eu rapidamente o empurrei, ele também se aproximou novamente…

-Gaby, não! Por favor então me diz o que você quer ouvir! Me diz?

 -Eu não posso te dizer!… Você tem que entender!… Fernando eu achei que você tinha compreendido, e por isso tinha me chamado… Mais eu vejo que não, novamente estamos revivendo essa cena… Foi um erro eu vir aqui!… Eu vou embora!

Eu sai correndo daquela cozinha, subi as escadas o mais rápido que eu pude, mais eu sabia que ele estava vindo logo atrás de mim…

Assim que entrei no quarto e comecei a juntar tudo o que eu já havia espalhado, ele me virou para ele e me segurando forte pelos braços me encostou em uma parede e fez algo que eu não imaginava…

Ele sempre me deixava ir, mais dessa vez se impôs e de um jeito que inicialmente me deixou com muito medo…

-Você não vai ir a lugar nenhum Gabriela!

 -O que você pensa que esta fazendo!… Me solta você esta me machucando! Fernando me solta!!!…

-Você sabe que eu não estou te machucando!… Olha aqui pra mim, olha pra mim Gabriela…

~Meu Deus por que esse cheiro, por que ele tinha que estar ali sem camisa, por que tinha que estar me encostando na parede dessa forma tão abusiva… Por que? Eu não conseguia me controlar…

- Não… Eu, eu não vou olhar pra você… Eu só quero que… quero que você me solte e me deixe ir embora…

- Eu já disse que você não vai ir embora… Dessa vez não! Agora olha pra mim!… Gaby por favor…

Ele baixou seu tom de voz e depois de me chamar pelo meu apelido, ele praticamente implorou para que eu o olhasse…

 -Fernando para… Você já sabe quantas vezes essa conversa chegou a um ponto que depois eu só saia mais magoada… Você ainda não entende os meus motivos, e eu não quero prosseguir com isso… Só me deixe ir embora…  

–Por que você tem que ser tão cabeça dura Gabriela, fica comigo? Não me deixa outra vez… Eu não suportaria ver você me deixar, desistir do nosso amor pela 4 vez. Não Gaby, você não vai sair daqui. Não vou perder o amor da minha vida porque ela é uma orgulhosa e quer ouvir algo que eu mesmo não sei o que é.

-Me deixe passar Fernando!

Disse nervosa tentando achar um meio de passar entre ele que bloqueava a minha passagem.

-Não vou deixar você escapar de mim dessa vez Gaby.

Ele disse dando um passo atrás me deixando surpresa

- Me desculpe por isso, mas é a única coisa que posso fazer nesse momento…

 Ao falar isso Fernando em um piscar de olhos soltou meus braços e atravessou o quarto em questão de segundos…

 Meu coração se acelerou quando ele tocou na chave da fechadura. Eu tinha uma ideia das suas pretensões mas ele não seria capaz de executa-las. Seria?

- Do que esta falando?

Perguntei ainda mais nervosa, mas ao vê-lo me olhar e puxar a porta do quarto,e instantaneamente a raiva cresceu ainda mais dentro de mim, me deixando furiosa.

 - O QUE PRETENDE FAZER?

Perguntei irritada.

- Me desculpe meu amor, eu te amo!

Ele disse puxando a porta e a trancando logo em seguida.

Corri ate a mesma, e tentei inutilmente abri-la.

 - ABRA ESSA PORTA FERNANDO.

Gritava movida pela raiva.

- Só vou abrir quando concordar em ficar, tente se acalmar e pensar em nós Gaby, por favor!

 Logo depois de dizer isso ouvi seus passos descendo as escadas…

Durante muitos minutos andei de um lado para o outro naquele quarto, tentando me acalmar, e enquanto sentia meu coração pulsar pela raiva me perguntava em como podia ter me apaixonado por ele.

Tudo o que queria naquele momento era sair daquela casa, daquela fazenda e esquecer que havia estado ali, estado com ele. Eu tentava conter a raiva, Fernando havia me trancado no quarto como se eu fosse de sua posse, como se fosse um animal de estimação e aquilo me deixava furiosa.

- Você é um grosseiro, um estúpido, um idiota Fernando Colunga!… Como posso te amar tanto assim?

 Disse me sentando na cama com a respiração acelerada … Os batimentos de meu coração pulsavam em meus ouvidos, se eu o visse em minha frente naquele momento era capaz de lhe dar uma bofetada tamanha era minha raiva para com ele.

 - Sou uma idiota, idiota…

Disse batendo as mãos com força contra a cama. 

“Tente se acalmar e pensar em nós Gaby, por favor…”

Aquela frase ecoou em minha mente.

-Como se eu pensasse em outra coisa que não fosse você!

Disse nervosa comigo mesma.

-Arggg… Por que era tão difícil te esquecer?

Deitei na cama tentando me acalmar, mas tudo o que via era Fernando…. Seus beijos, seus toques, ele me fazendo sua…

 Fechei os olhos com força tentando parar de pensar nele mais era impossível… Ainda mais quando sua voz ecoou no quarto…

 -ESTÁ PENSANDO EM NÓS MEU AMOR?

Ele gritou na porta, sua voz soava divertida. Como podia se divertir com isso?

 -CALA A BOCA FERNANDO! CALA A BOCA!!!

Gritei e tampei meus ouvidos rapidamente, mais não o suficiente para não ouvi-lo.

-Vou estar aqui te esperando

 Ele disse em um tom mais baixo…

-Quando decidir ficar, eu abro a porta.

 - SAIA DAQUI!… EU NAO QUERO OUVIR SUA VOZ!

Assim que gritei eu o ouvi descer a escada novamente entre risos…

O tempo passava e minha mente, ou melhor meu coração me tracionava, mesmo tentando não pensar nele não conseguia. A todo momento lembranças de nós dois juntos me atormentavam, bombardeando meu coração, e enchendo a minha cabeça…

-Como ele pode fazer isso comigo? Como?… Como ele pode ter sido capaz de me prender em um lugar contra a minha vontade?

Como ele podia dizer que não sabia o que eu queria ouvir, se pela segunda vez ele me tracionou, e cometendo o mesmo erro… Como ele foi capaz a se submeter a trabalhar com a mulher que quase tirou a minha vida, a do meu bebê e da minha família?… Como ele podia, depois de todo aquele ano maravilhoso que vivemos, mesmo que fosse as escondidas… Por que não se posicionou ao meu favor? Por que não gritou pro mundo inteiro que estava ao meu lado? Eu o havia perdoado, eu havia passado por cima de tudo o que mais prezava na vida, por ele, e ele me deu isso em troca… Ai Fernando Por que?…

 Depois de me questionar e chorar por um tempo mergulhada naquelas lembranças que tanto me traziam dor, Lembranças maravilhosas começaram a passar por minha mente e então um sorriso bobo surgiu em meus lábios quando recordei aquele dia em que o perdoei… Era três de março de 2012 quando a vida começou a sorrir para nós dois novamente…

Escrito por:

Andrea Monteiro (https://twitter.com/MissBracho_)

Dayane Cristina (https://twitter.com/DayCristinaa

reblog
hace 6 meses on 15 Marzo 2014 @ 10:35pm 3 notas

"Cuando tú estás conmigo es cuando yo digo que valió la pena todo, todo lo que yo he sufrido. No sé si es un sueño aún o es una realidad, pero cuando estoy contigo es cuando digo que este amor que siento es por que tú lo has merecido… Con decirte amor que otra vez he amanecido. Llorando de felicidad a tu lado yo siento que estoy viviendo, nada es como ayer. Abrázame que el tiempo pasa y él nunca perdona, ha hecho estragos en mi gente como en mi persona. Abrázame que el tiempo es malo y muy cruel amigo. Abrázame que el tiempo es oro si tú estás conmigo… Abrázame fuerte, muy fuerte, más fuerte que nunca, siempre abrázame. Hoy que tú estás conmigo, yo no sé si está pasando el tiempo o tú lo has detenido. Así quiero estar por siempre, aprovecho que estás tú conmigo, te doy gracias por cada momento de mi vivir. Tú cuando mires para el cielo, por cada estrella que aparezca amor es un ‘te quiero’. Abrázame que el tiempo hiere y el cielo es testigo, que el tiempo es cruel a nadie quiere por eso te digo: Abrázame muy fuerte amor manténeme así a tu lado, yo quiero agradecerte amor todo lo que me has dado. Quiero poder ponerte de una forma u otra a diario, amor yo nunca del dolor he sido partidario, pero a mí me tocó sufrir cuando confié y creí en alguien que juró que daba su vida por mí. Abrázame que el tiempo pasa y ese no se detiene, abrázame muy fuerte amor que el tiempo en contra viene, abrázame que Dios perdona pero el tiempo a ninguno… Abrázame fuerte amor."

reblog
hace 6 meses on 13 Marzo 2014 @ 12:31pm 2 notas

"Teníamos las narices a tan poca distancia que pensé que con un leve movimiento podíamos rozarlas. Pero lo más impresionante eran los ojos.

Mis ojos, los suyos.

Mis ojos en los de él. Sus ojos tenían mi cara dentro.

'Te quiero', me dijo.

Y me dio un beso.

Me rozó los labios. Y lo único que sentí fue cosquilla en la panza.”

Paulina&CarlosDaniel.

reblog
hace 6 meses on 11 Marzo 2014 @ 10:26pm 5 notas
« page 8 of 64 »